Páginas

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

"Se eu não morresse nunca e eternamente buscasse e conseguisse a perfeição das coisas!"

"Se eu não morresse nunca e eternamente buscasse e conseguisse a perfeição das coisas!", quantas vezes li esta frase!
"Se eu não morresse nunca e eternamente buscasse e conseguisse a perfeição das coisas!", estava escrita, como julgo que ainda está, na estação de metro da Cidade Universitária...
"Se eu não morresse nunca e eternamente buscasse e conseguisse a perfeição das coisas!", Cesário Verde disse...
"Se eu não morresse nunca e eternamente buscasse e conseguisse a perfeição das coisas!", quantas vezes...

Hoje, penso tanto nisso! A faculdade acabada, o hospital sempre na minha vida, todos os dias, eu imperfeito! Não me consigo abstrair de todas as outras solitações e continua a pensar: "Se eu não morresse nunca e eternamente buscasse e conseguisse a perfeição das coisas!"...

Mas caramba... Viver em sufoco não é o que se quer! Viver descontraído seria muito melhor... E olho, e vejo, e nunca tenho tempo, e não busco perfeição nenhuma... Quer dizer... Até que busco, mas não encontro... nada acontece como quero, às horas que quero... Mas eu gosto desse grau de entropia estranho...
Nesta meia hora aqui sentado tento digerir um dia num hospital, pensar numa noite, esta mesma noite, e o resto fica para depois... De há uns tempos para cá que parece que tudo fica para depois... Até eu fiquei para depois...
Bolas, não se trata de dizer que ser médico é um mal maior que ser qualquer outra coisa no Universo... Eu é que sinto que devia e podia ser muito melhor... Tenho de estudar! Mais? Caramba, a faculdade não acabou? Mas é tão bom quando se estuda e se ganha mais e mais conhecimento... Mas hoje estou cansado... Sinto-me cansado... Não nasci cansado, mas ultimamente não me lembro de não andar cansado! O cansaço é psicológico, ocupa-nos mais espaço a palavra cansaço que o cansaço em si... Será verdade? Quero ser dedicado à Medicina e a mais mil e uma coisa, e já agora a mim mesmo...
Só não quero perder algumas das qualidades que tinha... mas já não me lembro delas... Deprimido? Um pouco... Ou melhor... Hoje estou mesmo distímico!
"Se eu não morresse nunca e eternamente buscasse e conseguisse a perfeição das coisas!"...
Só há uma coisa que me vale: é que sempre que vou trabalhar levo um sorriso nos lábios, e esqueço o resto do mundo... Aí tenho a certeza da opção que fiz; opção essa tantas vezes questionada!
"Se eu não morresse nunca e eternamente buscasse e conseguisse a perfeição das coisas!"...

4 comentários:

Mónica disse...

Este és mesmo tu... a pessoa mais inquieta e brilhante que conheço...

SM disse...

Ficámos sempre para trás porque é tão mais fácil esquecermo-nos que dexamos de viver porque temos medo!

Inês disse...

Hoje...depois de mais uma volta pelo metro de lisboa...por mais uma vez a passar pela estação da cidade universitária pelo primeira vez li esta frase de Cesário Verde...

Quando cheguei a casa...fui pesquisá-la e encontrei logo o teu blog...e tive de comentar pois as palavras que escreves-te foram por mim reconhecidas de algum lado...do meu pensamento...o pensamento que tive quando li hoje pela primeira vez esta frase...

=)

As Estações do Ano disse...

Comecei no Facebook de uma pessoa muito especial para mim, passei para outra, muito especial para ela. Ambas, do Norte. E aqui vim parar a este blogue, com coisas tão bonitas (reflexões pessoais, referências literárias, tão valiosas). Não resisti em colocar aqui um comentário ...